terça-feira, 26 de outubro de 2010

Entre cartas, lembranças e desejos...

Nas ultimas semanas a vida tem sido corrida...e entre gravações, inaugurações e alguns projetos novos, me peguei feliz ao ler umas cartas de uma amiga que mora longe. E são cartas de verdade, cartas de punho mesmo! Nessa era de emails, eu ainda me comunico com uma amiga, através de cartas.
Pode parecer absurdo, mas essa sou eu. Simples assim.
Ando saudosa dela pois estamos há uns 2 meses sem nos escrever...acho que isso me inspirou agora...sei lá.
Deve ser também porque estou terminando meu texto sobre uma máquina de escrever, que achei aqui em casa no fundo do armário, cheia de poeira...imaginem o que vai sair disso né? A pessoa está criativa nos ultimos tempos..fiquei pensando quantas cartas sairam dela..

As cartas andam me rondando...
Era tão bom quando eu ficava esperando o carteiro chegar, só pra ver se tinha alguma carta bem bonita pra mim!!!
Outro dia, vendo um filme, a atriz falou sobre as cartas de Beethoven à sua amada imortal...tão lindas, intensas...cartas escritas para declarar o amor, para documentar os sentimentos.
É...

Cartas. Cartas. Cartas.
Elas marcam muito a nossa vida, imaginem no cinema, nas novelas e nas composições musicais o quanto elas são importantes. Ajudam a começar ou a terminar algo, servem de inspiração para as mais belas canções, documentam histórias de uma vida toda e até hoje quando aparecem, mesmo que antigas, causam um certo frisson!
Elas nos inspiram, nos despertam desejos, nos questionam...nos levam sempre para algum lugar, mesmo que o caminho seja o da imaginação...

Eu fui ver a peça " Tudo o que eu queria te dizer" com a Ana Beatriz Nogueira - texto da Martha Medeiros, eu adoro a Martha! Mas fiquei impressionada com a atuação da Ana. Dar vida a seis cartas num monólogo, durante uma hora, não é para qualquer um...Ela é incrível mesmo...

Me lembrei agora da voz da Cassia Eller, cantando E.C.T de Nando Reis, Marisa Monte e Carlinhos Brown,

"Mas esse cara tem a língua solta
A minha carta ele musicou
Tava em casa, a vitamina pronta
Ouvi no rádio a minha carta de amor"

E para completar, outro dia desses, vi pela milésima vez aquele filme "Uma carta de amor (Message in a Bottle) com o Kevin Costner...lindo filme! Imaginem encontrar uma carta dentro de uma garrafa quando se passeia na praia! E nesta fase que eu ando, cheia de cartas, ver o filme foi muito bom! Eu adoro fazer isso, ver o mesmo filme um monte de vezes em casa numa sexta a noite, bem tranquila... eu já falei aqui o quanto eu sou caseira e clichê, do tipo que confessa essas coisas! Vida tranquila...

Vocês se lembram quando foi a ultima vez que escreveram uma carta para alguém?
Mas eu digo uma carta de verdade, contando algo, falando da rotina, se declarando, jurando amor eterno...que tal? Mas não vale no computador! Afinal, ter a carta de alguem e poder ver a letra da pessoa é emocionante!


Eu vou tentar terminar o meu texto da máquina de escrever, mas confesso que será dificil com o Chico cantando no fundo, essa chuvinha que está caindo e a minha taça habitual de vinho!

É...acho que eu vou escrever uma carta mesmo...

Um beijo e até a proxima!

2 comentários:

Bebel disse...

Maricota!
Que lindas palavras!
Você é sempre muito "inspiradora"!
rsrs!
Saudades das sextas em casa tocando violão!!!
Beijos!
Bel

MARIANA RODRIGUES disse...

Oi Bel querida!
Saudades também!!!!!!!
Precisamos marcar essa viola!!!
Um beijo enorme!
Mari